Qual estratégia adotar para uma migração de sucesso para a nuvem?

Ao avaliar a possibilidade de migração para a nuvem de qualquer workload ou até mesmo de todo o datacenter para a nuvem, uma etapa de suma importância é o levantamento do ambiente de TI.

Mas antes de falarmos sobre o levantamento, é importante entender as três principais estratégias de migração para a nuvem:

  1. Lift and Shift: onde os workloads são migrados da forma como estão no ambiente atual. É bem similar com a migração entre datacenters tradicionais e nesse cenário nenhuma ou poucas funcionalidades de nuvem são utilizadas;
  2. Cloud-enabled migration: modifica os processos de gerenciamento de TI para que utilizem ferramentas nativas da nuvem. Além disso, ajustes são feitos para uma padronização. É feita uma sanitização do ambiente para efetuar a migração;
  3. Transformação de DevOps: essa estratégia é feita com a transformação do ambiente. Nesse caso, as aplicações são desenvolvidas de maneira nativa para a nuvem e mudanças são feitas em todo processo de gerenciamento de TI para essa nova realidade.

A estratégia 1 normalmente não traz benefícios e, de maneira geral, não há ganhos financeiros em se migrar para a nuvem, o que inviabiliza projetos de migração ou faz com que eles fracassem.

A estratégia 3 é complexa e demorada de ser implementada, apesar de ser a que traz mais benefícios para as empresas.

O foco desse artigo é então na estratégia 2, onde há otimizações dos workloads migrados além de possui o benefício de não trazer tantas alterações para o processo de gerenciamento de TI. Desta forma, permite a implementação de novas tecnologias e até mesmo a implementação da terceira estratégia enquanto já é possível se beneficiar de aspectos da nuvem.

O papel do levantamento de TI na estratégia de migração

Nesse caso, o objetivo deste levantamento está em identificar as oportunidades de otimização do ambiente durante o projeto de migração.

As oportunidades de otimização estão nos seguintes aspectos:

  • Identificar workloads que podem ser convertidos em Software como serviço (SaaS), como por exemplo serviços de e-mail.
  • Identificação dos workloads que podem ser convertidos em plataforma (PaaS) sem muita complexidade;
  • Capacidade superestimada do ambiente;
  • Identificação dos workloads que podem ser “desligados” durante os horários não produtivos;
  • Identificação dos workloads que podem ser executados em regiões da nuvem onde o custo é menor;
  • Investigação/avaliação do investimento já realizado em licenciamento.

O levantamento pode ser feito utilizando ferramentas já existentes, ferramentas com o foco em migrações para nuvem ou até de maneira manual.

O importante é que seja levado em consideração os aspectos apresentados acima e que dependem além de ferramentas, da capacidade crítica do administrador de TI em identificar quais workloads podem se beneficiar das oportunidades citadas.

De fato, essa maximização da eficiência não é uma novidade. Porém, é comum tanto em ambientes on-premises, que se beneficiam de virtualização, quanto os ambientes em nuvem é comum que haja capacidade excedente no ambiente.

A figura abaixo, parte de um estudo que mostra o status desses excedentes. De acordo com o Gartner existe em média 32% de capacidade ociosa em recursos computacionais nos servidores on-premises. Além disso, 40% de capacidade de storage acima do necessário, o que impacta diretamente nos custos do ambiente em nuvem.

migracao-datacenter

A importância de ter um parceiro de nuvem

Portanto, contar com um parceiro capacitado é importante para que as informações levantadas sejam usadas da melhor maneira possível. E com isso, viabilizar iniciativas de nuvem com ganhos reais tecnológicos e financeiros.

A avaliação da capacidade do parceiro deve ser feita de forma criteriosa, levando em consideração principalmente:

  • a capacidade técnica dos profissionais;
  • casos de sucesso comprovados em projetos similares;
  • nível de parceria com o fornecedor de nuvem;
  • níveis de serviços prestados após um projeto de migração (MUITO importante) dentre outras características que sejam importantes para o negócio.

Diante disso, a SGA Tecnologia Inteligente se apresenta como parceiro de transformação digital do datacenter com qualificações que você pode conferir no site.

 

Translate

Logística

Gestão de depósitos e silos

Posição física e financeira, em tempo real, de todo o estoque de grãos.

Análises por grãos, clientes, moedas e unidades de recebimento.  

Otimização da logística interna.  

Melhor eficiência administrativa do silo e armazém.

Soluções

Roteirização Inteligente

Evite a perda de produtos ocasionada pelo acondicionamento incorreto em transportes de longas distâncias.

Defina a rota mais viável

Conte com assistência de recomendação das melhores rotas de contorno para o condutor.

Previsão de demanda

Simule cenários de produção, antecipa a demanda produtiva e realize ajustes na operação com base em insights extraídos dos dados.

Automação de processos

Reduzo riscos e aumente a produtividade automatizando fluxos de automação de processos que demandam pouco ou nenhuma tomada de decisão.

SGA Bot

Conte com informações detalhadas da operação na palma de suas mãos por meio de um assistente inteligente.

Interessado?